fbpx
Av. Tenente Raimundo Rocha, S/N, UFCA, BLOCO D, Sala 04, Juazeiro do Norte

ACESSIBILIDADE NOS PROJETOS DE ENGENHARIA

Escrito por: João Victor Leite

A acessibilidade no Brasil ganhou destaque a pouco tempo, especialmente após a exigência da ABNT NBR 9050 (2004) que requisita alguns equipamentos como essenciais em estabelecimentos públicos e privados e normas para ruas e calçadas. Além de que partir de uma nova atualização da Norma, com a ABNT 9050, de 2015, o conceito de mobilidade reduzida foi ampliado para idosos, gestantes e obesos.

Em termos práticos, a palavra acessibilidade, que significa “ter acesso”, ganhou peso importante no ramo da construção civil e faz parte da política de inclusão social.

A partir de projetos elaborados por profissionais, pessoas com alguma deficiência física, visual ou com mobilidade reduzida conseguem ter garantido o direito de ir e vir nos espaços de uso público.

Para entender o que é acessibilidade na construção civil, basta lembrar da obrigatoriedade que os hospitais, prédios e demais espaços passaram a ter após a lei da acessibilidade.

Assim a acessibilidade na construção civil significa projetar espaços, sejam eles públicos ou privados, que atendam as demandas de necessidades sem deixar de lado e apelo estético e conceitual.

Para que seu projeto seja inclusivo, tanto para pessoas que apresentam mobilidade reduzida quanto para idosos que necessitam ambientes mais seguros, alguns itens são fundamentais, segue abaixo os principais pontos que se deve levar em conta na hora de projetar a sua casa ou seu estabelecimento inclusivo:

Medidas

  • Circulação de largura mínima de 90 cm e altura de 2,10 m.
  • Vãos de porta de no mínimo 80 cm e diâmetro de 1,50 m para manobras de cadeiras de rodas em 360º em quaisquer ambientes.
  • Para conversões de 90º, os corredores devem ter 1,20 m de largura.
  • Altura de pias e mesas devem ser de 0,75 m a 0,85 m e no caso das mesas possibilitar avançar até no máximo 0,50 m.

 

Rampas e elevadores

Mesmo que o empreendimento não contemple muitos andares, a inclusão de rampas, plataformas ou elevadores é imprescindível para que a locomoção seja facilitada e o acesso de todos seja possível. A ideia é que o piso seja nivelado e que degraus não impeçam o acesso aos locais.

Barras

As barras de apoio são alternativas de segurança para quem precisa de acessibilidade ou mobilidade, como idosos, deficientes físicos ou pessoas que estão em algum tratamento e apresentam dificuldade em se locomover. Podem ser instaladas em banheiros, corredores, quartos ou em qualquer outro local que seja necessário.

No caso do corrimão também é de enorme importância em todas as escadas visto que idosos e pessoas portadoras de deficiência tem dificuldades de subir sem algum tipo de apoio.

Revestimentos

Alguns tipos de revestimento de piso apresentam certo risco, principalmente em áreas úmidas, como banheiro e cozinha. A ideia é planejar os cômodos com pisos antiderrapantes a fim de evitar acidentes e escorregões. Evite pisos polidos ou de pedras.

Outro piso bastante importante é o piso tátil, que diferente do chão ele aparenta cor e textura diferenciada com a função de alertar sobre novas direções em calçadas e estabelecimentos, bem como obstáculos e até mesmo servir de guia. O uso do piso tátil está previsto nas normas ABNT NBR 9050 e ABNT NBR 16.537.

Iluminação

A automação é um fator bastante esquecido, mas que é um forte aliado de projetos que precisem de necessidades especiais. Adaptar sensores que acendem as luzes de forma simples é uma alternativa prática que evita algumas preocupações para pessoas portadoras de deficiência.

 

Com isso, esses são alguns pontos importantes na hora de se fazer um projeto arquitetônico acessível tanto para residências como para estabelecimentos. Para maiores dúvidas entre em contato conosco! Muito obrigado por ler!

Posts relacionados

Deixe um comentário