Av. Tenente Raimundo Rocha, S/N, UFCA, BLOCO D, Sala 04, Juazeiro do Norte

PASSO A PASSO DO PROJETO ESTRUTURAL

Escrito por: Felipe Ferreira e Déborah Agra

Tá pensando em construir? Calma aí que não pode ser de qualquer jeito não. Antes mesmo de iniciar qualquer construção deve-se fazer os primeiros ajustes para a implantação da estrutura de seu empreendimento. E para isso, é preciso estar em concordância com as leis e normas vigentes relacionado as estruturas, e dentre elas a principal que rege o projeto de estruturas em concreto é a NBR 6118: 2014. 

E vale ressaltar, leis não foram feitas para serem quebradas, mas sim, para serem seguidas. Até porquê, se é segurança e economia que você quer, tem que seguir à risca um passo a passo para a criação do projeto estrutural. E esses passos estão divididos em 5 fases: estudo e análise da arquitetura, concepção estrutural, análise estrutural, dimensionamento e detalhamento, emissão de pranchas e documentação. Agora vem comigo conhecer um pouquinho sobre cada uma.

  • Estudo e análise da arquitetura. 

Vamos deixar de conversa e vamos partir para a ação. Inicialmente deve-se analisar e estudar cuidadosamente toda a arquitetura antes de seguir para o projeto estrutural propriamente dito, estudo profundo da planta baixa, dos cortes ,das fachadas e do 3D da arquitetura, facilita bastante a próxima etapa do projeto estrutural, que é a etapa de concepção, pois ao entender toda a arquitetura pode-se ter uma melhor noção de qual sistema estrutural é mais viável e mais econômico pra aquela edificação, como também identificar onde posicionar melhor os elementos estruturais (pilares, vigas, lajes e fundações), de forma que não interfira negativamente na arquitetura.

  • Concepção estrutural

É nessa fase que deve haver a análise do laudo de sondagem SPT, nele o projetista irá se nortear, a fim de escolher o melhor tipo de fundação para determinado empreendimento. Logo após a escolha dos parâmetros da obra: resistência do concreto, materiais a serem utilizados, os parâmetros de vento de acordo com a região e as ações que aquela edificação estará sujeita, por exemplo a força do vento ou a força de um aterro na lateral da estrutura, inicia-se a fase de locação e pré-dimensionamento de pilares, lajes, vigas e fundações, em que serão definidas a melhor posição e dimensão para cada um deles. Por fim será realizada a inserção das cargas que atuarão durante o funcionamento da estrutura e as combinações dessas cargas e ações.

  • Análise estrutural

Agora que tá começando a melhor parte, vem comigo. Após serem obtidos os diagramas de esforços internos (momento fletor, esforço cortante, esforço normal e momento torsor), serão analisados os pontos onde houveram maior concentração desses esforços, afim de redistribui-los melhor, modificando as dimensões ou as posições dos pontos críticos, para assim se obter uma estrutura mais segura e econômica.

Que tal analisar as deformações? É aí onde verifica-se na estrutura os pontos que possuem maiores deformações, e se essas deformações estão em conformidade com os limites normativos, caso esteja, é só partir para a próxima etapa, caso não, modifica alguns elementos estruturais até que estejam dentro dos padrões normativos.

  • Dimensionamento e detalhamento

Agora é só calcular. A fase de dimensionamento é onde devem ser calculadas as armaduras das vigas, lajes, pilares e fundações, de acordo com os esforços obtidos na análise estrutural. O dimensionamento é uma das fases mais importantes do projeto estrutural, nele você evitará os riscos de construir sem projeto estrutural, pois caso a estrutura fique super dimensionada se torna extremamente cara sem necessidade, caso fique sub dimensionada poderá colocar a vida dos usuários em risco, visto que a estrutura terá mais carga do que pode suportar. 

Quanto ao detalhamento, fase de melhoramento das armaduras, onde o projetista irá trabalhar para utilizar as armaduras da forma mais otimizada possível, sem estar adicionando barras a mais do que aquele elemento precisa, trabalhando sempre em função da segurança e da economia.

Leve sempre em seu coração a posição das barras e a forma de montagem, é nessa fase de detalhamento que o calculista tenta deixar o mais simples possível a forma de montagem das barras, para que os colaboradores não tenham tanta dificuldade na montagem durante a obra, e nem montem elementos com barras muito próximas umas das outras.

  • Emissão de pranchas e documentação

Respira mais um pouco, estamos chegando ao fim. É aqui que o projetista irá organizar cada uma das pranchas dimensionadas anteriormente, contendo as seguintes informações: 

  1. Planta de locação das fundações;
  2. Planta de formas dos pavimentos;
  3. Planta de fundações;
  4. Planta de pilares;
  5. Planta de vigas;
  6. Planta de lajes;
  7. Planta de escadas;
  8. Planta de cargas;
  9. Planta de cortes.

Lembrando sempre das documentações necessárias, como a inclusão da ART (anotação de responsabilidade técnica), memorial de cálculo, memorial descritivo e os relatórios informando o consumo e o quantitativo de materiais. As pranchas são o que os colaboradores irão utilizar para executar a obra, logo essa parte merece uma atenção especial para que o projeto possua o máximo de informações possíveis e facilite a execução.

O projeto estrutural é algo de suma importância em qualquer edificação, se todas as etapas anteriormente citadas forem seguidas à risca, o resultado final será sempre projetos de qualidade, e que levam aos usuários economia conforto e segurança.

Tá pensando em construir e quer garantir segurança e economia? Tá no lugar certo, a PROJETTA está aqui para você, entra em contato e garante já o seu projeto estrutural.

Posts relacionados

Deixe um comentário